Aposentada realiza o sonho de almoçar em uma churrascaria!

Maria Madeiro, 54 anos, contou que nunca conseguiu comer fora por conta da sua azia!

Por G1
03/07/2017 10h04  •  Atualizado há 6 horas

Vencendo Azia

Maria Madeiro almoçou um delicioso churrasco gaúcho na brasa com carnes nobres e um variado buffet.

Parece algo muito simples e uma rotina para muitos que trabalham fora, não é mesmo?

Ir a um restaurante diferente, a cada dia, variar um pouco o tempero, experimentar comidas novas e confraternizar com os amigos... Era tudo o que Maria Madeiro queria ter tido na vida, mas nunca conseguiu por conta de sua azia.

Hoje, com 54 anos, ela contou a nossa reportagem que conseguiu realizar seu sonho de vida: comer em uma churrascaria sem passar mal!

Ela nos relatou um pouco sobre sua história de vida!

A vida sem sal de Maria Madeiro

A aposentada nos contou que desde muito nova tinha problemas com azia e refluxo. Segundo ela, sua mãe comentava que desde bebê esse problema apareceu. Sempre que a amamentava, o refluxo ocorria.

Tanto que precisava passar a noite toda ao lado do bebê para garantir que nada de ruim acontecesse.

Os médicos lhe garantiram que ter refluxo é uma condição normal de recém nascidos e crianças, pois estão com seu estômago em adaptação. No entanto, isso passaria logo, nos próximos anos de vida.

Isso não aconteceu!

Já mais velha, com 10 anos, Maria não conseguia ter uma alimentação igual a outras crianças. Ela não podia comer salgadinhos, balas, refrigerante... Nada mesmo.

“Lembro-me que até os almoços na casa da minha avó eram sem graça para mim. Sabe aquela macarronada de domingo? Pois é, eu não podia, afinal, molho de tomate é muito ácido e me deixava mal por muitos dias! Acabei não tendo uma vida normal. Cresci com uma dieta muito restritiva, tendo que me adaptar a comer, apenas, o que era feito em casa, sem sal, sem tempero e sem qualquer condimento.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Vencendo Azia

Os anos foram passando e eu já estava acostumada com a minha condição.

Nunca pude comer fora!

Nunca pude ir a festa de amigos como uma pessoa comum.

Nunca comi um pastel de feira!

Eu sabia que iria passar mal, então eu sempre evitei, pois das vezes que tentei burlar a dieta o arrependimento era anunciado pelos sintomas do meu problema.

Ela nos contou que uma vez foi parar no hospital por conta de seu estômago inflamado, chegando a suspeitar de úlceras!

A busca por tratamento

Por longos anos, Maria buscou ajuda dos melhores profissionais do país para tratar a sua azia e seu refluxo, mas nada dava certo por muito tempo. Ela até criava uma expectativa no começo do tratamento, pois via alguns sinais de melhora, porém com o passar dos dias, tudo voltava.

A vida era cheia de corta isso, tira aquilo, de sua alimentação!

Alimentos como:

→ Pimenta;
→ Café;
→ Fritura;
→ Chocolate;
→ Bebidas Alcoólicas;
→ Cebola;
→ Ketchup;
→ Mostarda;
→ Molho de Tomate;

Já estavam totalmente cortadas de sua vida, mas apenas isso já não adiantava mais!

“Eu já não sabia mais o que fazer. Já tinha feito todo o tipo de tratamento, já seguia a dieta à risca e mesmo assim as crises continuavam.

Não tinha mais o que fazer ou para quem recorrer!”

Azia e refluxo – Existe solução?

Os tratamentos utópicos, aqueles que são feitos através de medicações controladas não fazem efeito em todas as pessoas ou, então, acabam interferindo em outras questões do organismo, afinal, são remédios controlados.

Se a gente te contasse que existe um método 100% livre de contraindicações e sem complicações, você acreditaria?

Pois bem, a Maria Madeiro acreditou. Na verdade, era sua última chance de conquistar uma melhor qualidade de vida...

“Me lembro muito bem de quando tive o primeiro contato com o método. Estava navegando na internet, em um site feito para quem sofre desse mesmo mal. Lia um texto quando vi uma propaganda relacionada a esse método.

Já tinha lido tanto sobre o assunto e feito tantas coisas que não deram certo que resolvi conferir quais eram as tais promessas.

Comecei a ler e entender melhor. O que me chamou a atenção era ser um método 100% natural, pois estava cheia de tomar remédios fortes que não davam em nada.

Quando comecei a ler os depoimentos de quem já tinha aplicado o método fiquei encantada. Todo mundo tinha conseguido resultados excelentes. Todos estavam evoluindo, logo pensei que se foi possível para eles, seria para mim!”

Ela nos contou que o método chama-se Vencendo a Azia e nos deu todas as informações.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Vencendo Azia

Conheça mais sobre o método Vencendo a Azia

Maria achou que poderia ser, apenas, mais um método, mas ele realmente mudou a sua vida! Basicamente, o programa é dividido em 4 módulos:

No primeiro, você vai aprender em cima de quais conceitos o método foi criado. Serão apresentados 10 fatos que fazem com que ele funcione para toda e qualquer pessoa;

No segundo módulo, você aprenderá a descobrir qual a causa da sua azia, os fatores de riscos e quais os tipos de exame mais tradicionais que são feitos em pacientes que sofrem desse mal. Uma das informações mais legais aqui são as diferenças apresentadas em os “métodos tradicionais” e o Vencendo a Azia.

O terceiro módulo é revolucionário: ele ajudará o paciente a obter um alto nível de melhora em apenas 48 horas. É uma espécie de mini tratamento para combater azia, refluxo e gastrite em apenas 2 dias.

O quarto e último é a apresentação do método 100% natural completo. Tudo será passado de uma forma simples, segura e, o melhor, com 100% de aplicação natural, pois irá se concentrar em uma alimentação adequada e na suplementação correta.

Acha que acabou? Não mesmo!

Para quem adquirir o método ainda levará como bônus um material completo sobre como preparar qualquer remédio caseiro 100% natural.

Vencendo Azia

Maria Madeiro é uma prova viva de que o método funciona.

A mudança de vida!

Maria Madeiro é uma prova viva de que o método funciona. Ela garante que em 30 dias já pode realizar seu sonho de vida: almoçar em uma churrascaria sem se preocupar com o que iria comer.

Ela deixa um grande conselho:

“Mesmo que você já tenha tentado todos os tratamentos tradicionais e os alternativos, dê uma chance para o método, pois ele com toda a certeza, vai revolucionar sua vida como fez com a minha.

Não sei o que seria de mim, hoje, sem ele!”

36 COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

RECENTE

  • Marcelo Henrique

    HÁ 30 MINUTOS

    Eu costumava tomar Omeprazol, Plasil, Sonrisal e vários outros remédios dos quais nem consigo lembrar o nome agora. Também cheguei a fazer algumas dietas mas nada resolveu! Agora estou testando um novo produto, um ebook que achei na internet no qual ensina como acabar de vez com esses problemas, começei tem uns dois meses e estou gostando muito! Segue site para quem tiver interesse: www.vencendoaazia.com.br

  • Maria Estela

    HÁ 3 HORAS

    Eu sofro muito com gases intestinais,mas é muita dor os gases estoora dentro das minhas tripas,mesmo com uma alimentação equilibrada,gostaria de saber qual médico devo procurar?

  • Gustavo Oliveira

    HÁ 9 HORAS

    Meu gastroenterologista prescreveu a cirurgia de refluxo ácido como último recurso. Mas, no ano passado, pesquisando na internet sobre esse assunto encontrei algumas soluções para não precisar fazer essa cirurgia. Estou fazendo um tratamento bem legal e retomei minha vida normal, consigo dormir a noite toda e estou totalmente liberado da minha medicação.

MAIS DO G1

BEM ESTAR

Cinco erros mais comuns na hora de tomar o antibiótico.

Quando o remédio não é tomado de forma correta ou é interrompido, as bactérias ruins mais fortes não morrem e ficam mais fortes, mais resistentes.

BEM ESTAR

Dor de barriga pode indicar um problema mais sério.

Mais de 25 milhões de brasileiros sofrem com dor de barriga. Gastroenterologista explica quando pode ser Doença de Crohn.

LONGEVIDADE

Dez dicas para o idoso deglutir com segurança.

A Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia do RJ lançou uma cartilha sobre deglutição, iniciativa que integra uma série sobre cuidados.

PUBLICIDADE

BEM ESTAR

Carne vermelha ou carne branca? Veja as dicas.

Carne branca tem menos gordura e é menos calórica. Especialistas lembram que a carne vermelha deve ser consumida na quantidade certa.

ZIKA VÍRUS

Risco de zika diminuiu, mas grávidas precisam manter atenção contra a doença.

Mesmo com queda no número de casos, vírus que causou epidemia em 2016 ainda não desapareceu totalmente das regiões onde há risco.

© Copyright 2000-2017 Globo Comunicação e Participações S.A.